Lean Startup: Metodologia para Enxutar Empresas

O mercado de empreendedorismo e startups tem crescido a cada ano no Brasil. Há uma estimativa de que haja no país cerca de 60 mil empreendedores e mais de 6.000 startups com cadastros no CNPJ.

O grande desafio dessas empresas é transformar suas ideias em negócios de sucesso. Uma alternativa para elas é o método Lean Startup que pode dar agilidade no desenvolvimento do produto através da interação com o público-alvo.

A metodologia Lean Startup busca diminuir o desperdício de recursos e tempo no desenvolvimento de um produto ou serviço.

Ficou interessado em entender esse método inovador que já ajudou milhares de startups a se tornarem negócios de sucesso? Então confira esse post até o final!


Lean Startup
A metologia Lean Startup é muito utilizada para alavancar projetos de empresas embrionárias, pois reduz custos e torna o negócio mais enxuto.

O que é o método lean startup?

Antes de saber o que é o método Lean Startup, é necessário entender o que significa o conceito lean.

Lean é uma palavra em inglês que pode ser entendida em português como “enxuto” “magro”.

O conceito foi desenvolvido pelo fundador da Toyota – Sakichi Toyoda, ficando conhecido como Lean Manufacturing, que tinha como base melhorar o rendimento da produção através da:

  • Redução de estoque
  • Redução de etapas
  • Redução de tempo
  • Redução de defeitos
  • Redução de área

Essas reduções “enxugavam” a linha de produção e combatia os sete desperdícios da indústria:

700 Ideias de Negócios

  • Transporte desnecessário de materiais que não agrega valor ao produto e aumenta seu custo.
  • Espera por matéria-prima, pessoal, equipamentos e informações que pode prejudicar o processo produtivo e aumentar despesas.
  • Excesso de estoque que gera gastos desnecessários e pode afetar a qualidade do produto. Veja também como fazer o controle de estoque.
  • Super processamento, etapas de processo que não agregam valor ao produto e ao cliente.
  • Defeito que pode causar impressão negativa no cliente em relação à organização ou causar atraso na produção com a necessidade de refazer ou reparar o trabalho feito errado.
  • Excesso de produto acabado que pode ficar “encalhado” e gerar custos desnecessários.
  • Movimentação de funcionários de forma desnecessária, que não agrega valor ao produto.

Portanto, podemos entender Lean como um conjunto de conhecimentos utilizados para atingir a eliminação contínua de desperdícios e resolução de problemas através de uma organização constante, eficaz e eficiente.

Qualquer ação lean tem como finalidade criar valor sobre algum produto ou serviço para o cliente.

Com isso, torna-se necessária uma reformulação na forma de gestão e produção, visando desenvolver habilidades e conhecimentos nas pessoas envolvidas no processo produtivo, a fim de colocar em prática a forma lean de trabalhar.

O método Lean Startup foi uma adaptação feita por Eric Ries do lean manufacturing para as empresas iniciantes, sendo elas ligadas a tecnologia ou não.

Em seu livro “Lean Startup” ou “Startup Enxuta”, Eric mostra como desenvolver produtos e serviços com valor para o cliente, evitando o desperdício.

Concluindo, o método Lean Startup busca criar maneiras de identificar e acabar de forma sistemática com o desperdício durante o processo produtivo, na venda e no pós-venda.

Princípios que formam o método Lean Startup

Há alguns princípios básicos que norteiam esse método. Eric Ries define esses princípios em:

  • Mínimo Produto Viável (MPV) trata-se de uma versão simplificada de um produto novo. Com o MPV é possível aprender informações e conhecer as expectativas e necessidades do cliente. É a fase de testes do novo produto, na qual se procura os problemas para solucioná-los e fazer melhorias, com o intuito de evitar o uso de recursos desnecessários em um produto que não interessa ou resolve às necessidades do consumidor.
  • Desenvolvimento Contínuo – A equipe trabalha continuamente e de forma atualizada para finalizar a criação de um recurso novo e disponibilizá-lo o mais rápido possível para que seja avaliado.
  • Teste A/B – Nesse teste são disponibilizadas versões diferentes de um mesmo produto com a finalidade é ter uma avaliação dos clientes sobre cada versão e verificar qual agradou mais ao consumidor.
  • Métricas Acionáveis ou de Vaidade – são utilizadas para identificar tendências e comportamentos dos consumidores. Os dados obtidos através das métricas são importantes para a tomada de decisão pela empresa sobre o negócio.
  • Pivot – É uma reestruturação do produto que não obteve bons resultados junto ao cliente. Cria-se uma nova estratégia para desenvolver um novo modelo do produto, com as melhorias ou adaptações necessárias para ser novamente testado.

Como utilizar o método Lean Startup

O método Lean Startup une tecnologia, gestão e marketing com a finalidade de otimizar os resultados da qualquer empresa, especialmente as startups que não podem perder tempo e recursos.

Essa metodologia busca trazer ao empreendedor novas formas de trabalho e relacionamento com o cliente para atingir o sucesso da empresa.

Para utilizar o método Lean Startup de forma correta e criar um produto que seja adaptável e escalável é preciso observar alguns pontos importantes da metodologia.

Primeira Etapa do Método Lean Startup

O primeiro é utilizar uma ferramenta conhecida como Canvas, um tipo de mapa estratégico que vai ajudar a empresa a criar valor para si e para seu cliente.

como aplicar lean startupEsse mapa pode ser dividido em nove partes que são:

  • Atividade principal ou atividade-chave: são as atividades fundamentais para conseguir entregar a proposta de valor.
  • Parcerias principais: tratam-se das atividades-chave que são realizadas de forma terceirizada e os recursos vindos de fora da empresa.
  • Recursos principais: são os recursos necessários para o desenvolvimento da atividade principal
  • Proposta de valor: é o produto ou serviço ofertado pela empresa ao consumidor e que terá valor para ele.
  • Segmentos de clientes: qual tipo de cliente é o alvo central da empresa.
  • Canais: são os canais de venda e distribuição do produto ou serviço ao cliente.
  • Relacionamento com os clientes: formas de relacionamento da empresa com cada segmento de cliente
  • Estrutura de custos: são os custos básicos necessários para que a estrutura da empresa funcione e seja possível entregar o produto ou serviço.
  • Fonte de receitas: são os meios de obter ganhos através do produto ou serviço.

Segunda Etapa do Método Lean Startup

O segundo ponto importante para usar corretamente o método Lean Startup é trabalhar o “desenvolvimento com clientes” ou “Customer Development”, que pode ser entendido como a fase de testes do produto ou serviço oferecido.

Nessa fase a startup busca alinhar o produto à necessidade do mercado, fazendo os ajustes necessários paralelamente ao desenvolvimento do produto/serviço.

Essa é a principal novidade dessa metodologia. Na forma tradicional de negócios, a fase de testes se inicia com o produto já pronto, o que pode ser um risco, especialmente para startups.

Com o produto já finalizado, se o consumidor não gostar ou encontrar problemas que o façam desistir de adquirir aquele produto pela falta de qualidade, designer pouco eficiente ou outras questões, a empresa pode ter um grande prejuízo com a marca e sua imagem.

Por isso, fazer os testes enquanto o produto ainda está sendo desenvolvido diminui o risco do fracasso comercial e de prejuízos, principalmente com a imagem da empresa, que pode levá-la a fechar as portas antes da hora.

O “desenvolvimento com clientes” acontece em quatro etapas, sendo as duas primeiras focadas na aprendizagem e as duas últimas na execução.

A primeira etapa é chamada de “customer discovery” ou “descoberta do cliente”, onde a empresa procura descobrir quais problemas os clientes têm e testam as possibilidades de mercados.

O objetivo é desenvolver um produto que atenda a essas necessidades e que façam os consumidores quererem ter o produto que solucione seus problemas.

A segunda etapa é “customer validation” ou “validação do cliente”, analisa o processo de venda e distribuição do produto. Também analisa a logística de distribuição, se é viável e se o produto é vendível, ou seja, as pessoas desejam pagar por ele?

A terceira etapa é o “customer creation” ou “criação de clientes”, nela, através de ações de venda e marketing, cria-se a demanda pelo produto.

A última etapa é “company building” ou “construção da empresa”, é o momento em que a startup se deixa a fase de testes e se consolida no mercado.

O último ponto a ser observado para a implantação da metodologia Lean Startup é o “Agile Development” ou “Desenvolvimento Ágil”.

O desenvolvimento ágil caminha paralelo ao “desenvolvimento com clientes”. Aqui o produto é incrementado conforme a necessidade do cliente em uma interação que diminui o gasto de recursos e otimiza o tempo de produção.

O segredo do método lean startup é a interação com o cliente em todas as fases de desenvolvimento do produto antes do lançamento final, garantindo maior possibilidade de sucesso no mercado.

O que é MVP – “Minimum Viable Product” ou “Mínimo Prduto Viável”

Para uma startup é fundamental avaliar seu produto, testá-lo junto aos consumidores antes de lançá-lo no mercado, assim consegue evitar o desperdício de tempo e recursos. Por isso é tão importante entender e colocar em prática o MVP – Mínimo Produto Viável.

lean startup MVPO MVP é um protótipo com as funcionalidades disponíveis do produto que será entregue ao mercado. Esse protótipo é oferecido ao público para avaliá-lo antes do lançamento ao consumidor.

Essa ferramenta ajuda a empresa a estudar, analisar e avaliar se o produto será aceito pelo mercado, se o cliente em potencial colocará valor a ele e se ele será a melhor solução para os problemas das pessoas que possam vir a adquiri-lo.

O MVP auxilia na solução de problemas e pode remodelar estratégias de gerência, venda e aquisição de clientes para garantir mercado consumidor do produto.

Para implementar o MVP em um negócio é preciso levar em consideração alguns aspectos relevantes, são eles:

  1. Formular possibilidades a serem validadas. O MVP é uma ferramenta que te possibilita ver com maior clareza como o mercado reagirá ao seu produto. Por isso, é importante ter bem definido o que se quer tirar de informação com ele e criar hipóteses bem definidas e claras para conseguir as respostas necessárias.
  2. Compreender seu público-alvo. Utilize todos os indicadores referentes ao mercado consumidor.

Defina um perfil ideal do seu cliente, saiba sobre suas necessidades, desejos e anseios. Analise e compreenda o contexto que envolve sua startup, conheça seus concorrentes e seus diferenciais para saber exatamente qual será a melhor estratégia de desenvolvimento do seu negócio.

  1. Estabeleça parâmetros e defina métricas. Após fazer a análise do seu cliente e do mercado, estabeleça os indicadores e métricas que a empresa vai usar para avaliar a performance do MVP em relação ao seu cliente foco.
  2. Trabalhe nas funcionalidades do MVP. Todo produto deve equilibrar o tempo gasto em sua produção, os recursos investidos para desenvolvê-lo e a forma como ele será apresentado ao público-alvo.

No MVP é valorizado o uso de tecnologias que tornam o produto inovador e traga um diferencial que conquistará o cliente e gerar demanda.

  1. Reagir e nunca desistir. Encontrar um mínimo produto viável é algo trabalhoso, pois exige diversas interações com o público, alterações, tentativas, correções e erros.

Mas se ao final de todo o caminho a empresa conseguir validar suas hipóteses, o investimento e trabalho terão valido a pena.

A empresa terá um produto com demanda de mercado e terá feito uma economia considerável de seus recursos.

  1. Corra o risco de errar. Se existe um momento que a startup pode errar é com o MVP. Errar aqui não significa que tudo está perdido, ao contrário, significa buscar soluções para os problemas e melhorias para o produto com o objetivo de que ele supra as necessidades dos clientes e tenha destaque no mercado.

Diferenças entre o método Lean Startup e o modelo tradicional

Para avaliar qual forma de negócio é a mais eficaz para uma startup colocamos aqui as diferenças entre o método Lean Startup e o modelo tradicional de negócios, avaliando os pontos importantes e chamando a atenção para alguns detalhes.

Estratégia

No método Lean Startup, a estratégia utilizada se baseia em validação de hipóteses e modelos de negócios através da interação com o público-alvo que avalia o produto.

Esse feedback ajuda a fazer aos ajustes necessários para criar um produto final viável e escalável em um tempo menor.

No modelo tradicional de negócios a estratégia utilizada é a implementação de um plano de negócios e de um produto já finalizado com pouca interação com o público.

Nesse modelo a empresa passa longos períodos planejando e desenvolvendo um produto, teoricamente perfeito, baseando-se apenas em dados superficiais sobre o mercado consumidor desse produto.

Dessa forma, o tempo e recursos gastos para o desenvolvimento do produto é muito maior, assim como o risco de fracassar também.

Velocidade de ação

No método Lean Startup a empresa opera com maior rapidez e as suas ações se baseiam no feedback dos clientes. Conforme as informações vão surgindo a empresa age fazendo modificações, melhorias e correções necessárias para o produto final atender às expectativas do público-alvo.

No modelo tradicional de negócios a empresa trabalha pausadamente, utilizando informações completas para realizar novas ações. Busca evitar o risco de tentar e errar.

Criação de produtos

No método Lean Startup a empresa trabalha com modelos que são testados durante o processo de produção pelos clientes e sofrem modificações conforme a avaliação feita por eles, detectam problemas ou falhas no produto.

Há uma grande interação entre empresa e o cliente durante todo o processo de desenvolvimento e criação do produto.

No modelo tradicional de negócios é feito o plano de negócios de forma clara e direta sem maior interação com o cliente. O produto é desenvolvido e entregue pronto ao mercado.

Fracasso

No método Lean Startup, quando o produto não traz o resultado esperado, a empresa realiza o pivot, iniciando uma reestruturação de todo o processo produtivo, criando novos produtos.

No modelo tradicional de negócios quando o produto não dá certo, a solução mais utilizada é abandonar o projeto ou trocar toda a gerência executiva, de gestão e de produção.

O que achou da metodologia Lean Startup? Pronto para colocar em prática? Comente e deixe suas dicas!

★ Dica Importante!

Qualquer negócio que você for montar é importante fazer um planejamento. Para isso, estude em livros, contrate uma consultoria ou use o Kit Novo Negócio.

Enfim, escolha a opção que mais lhe agrada, apenas NÃO ARRISQUE suas economias e o bem-estar da sua família em um chute!



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here