Plano Empresarial: Guia Completo Tira Dúvidas e Como Fazer

O plano empresarial é como se fosse um manual de instruções da sua empresa, que contém todas as informações relevantes que você e seus funcionários e gestores precisam saber sobre seu funcionamento.

E o melhor é que ele é elaborado e aperfeiçoado por você, o que lhe permite conhecer os aspectos mais relevantes do seu empreendimento.

plano empresarialO plano de negócios faz com que você busque informações mais detalhadas sobre o seu setor de atuação, produtos e/ou serviços que serão oferecidos, clientes, concorrentes e fornecedores. Nele também irá conter dados importantes sobre o mercado e o público-alvo com os quais você trabalha.

A elaboração do um plano de negócio não é uma tarefa fácil, pois ele demanda busca e organização de muitos dados. Exige persistência, comprometimento e pesquisa. Mas não se preocupe, aqui você encontrará tudo o que precisa saber para fazer o melhor plano empresarial.


O que é um plano empresarial ou plano de negócios

Plano empresarial ou Plano de Negócios é um documento que contém informações sobre as características, condições e necessidades do seu empreendimento. Ele é uma espécie de registro identitário e norteador dos gestores da sua empresa.

Este documento apresenta uma descrição completa da sua empresa, como ela atua, situação financeira, participação no mercado, projetos e estimativas. Ele é importante não apenas para que você e seus funcionários compreendam o negócio, mas também para preparar apresentações a investidores ou parceiros potenciais.

O plano de negócios deve apresentar os objetivos da empresa e os passos a serem dados para que sejam alcançados, diminuindo os riscos e as incertezas. Ele dá a oportunidade de identificar e isolar erros no papel, antes que sejam cometidos no mercado, fazendo com que você economiza bastante tempo, energia e dinheiro.

A importância de um plano empresarial

Para que um negócio tenha boas possibilidades e consiga prosperar, é fundamental planejamento. E isso diz respeito a pensar, pesquisar e registrar objetivos e informações relacionadas ao empreendimento para ter mais segurança ao dar os próximos passos.

700 Ideias de Negócios

O plano empresarial é uma ferramenta que irá nortear a gestão em diversos momentos, em tomadas de decisão e avaliação de resultados.

A ideia central consiste em colocar no papel todas as informações sobre a sua empresa, o meio em que ela atua, bem como os planos para curto, médio e longo prazo.

Essas informações podem e devem ser alteradas de acordo com novas necessidades que se apresentem, mas elas têm a função de dar base ao empreendimento e definir quais e como os objetivos serão alcançados.

O plano empresarial também permite que você mantenha atualizados os contatos com clientes e fornecedores e avaliar periodicamente essas relações.

Uma empresa por vezes precisa obter matéria-prima, parceiros e vendas. Assim, é importante verificar e cuidar dos relacionamentos que interagem com o funcionamento saudável da empresa para adaptar ou mesmo apresentar soluções de acordo com esse cenário.

Quando o seu empreendimento adquire estabilidade, com uma boa carta de clientes, dívidas quitadas e equipe definida, é hora de buscar novos caminhos para o negócio crescer. A elaboração do plano empresarial continua sendo a maneira mais eficaz de obter um norteador que irá apresentar a situação do mercado e oferecer uma projeção de como a empresa irá funcionar após as alterações que se pensa em fazer.

Estrutura do plano empresarial

O plano empresarial não possui um modelo fixo a ser seguido, mas compreende algumas partes que são fundamentais na sua composição:

  • Sumário Executivo
  • Análise de mercado
  • Plano de marketing
  • Plano Operacional
  • Plano Financeiro

Cada uma dessas partes contém certos itens que são muito importantes para a integridade do documento. Ainda que você não siga à risca o modelo que vamos apresentar, é importante que seu plano empresarial contenha as informações que listamos aqui, mesmo se organizadas de outra maneira.

Vamos conhecer melhor cada uma das partes do plano empresarial a seguir.

Sumário Executivo

É um resumo do plano empresarial. Não confunda com uma introdução ou justificativa, pois se trata de uma espécie compêndio que contém os pontos mais importantes e sucintos do documento.

O sumário executivo deve contemplar os seguintes itens:

Resumo dos principais pontos do plano de negócio

Breve relato com as principais características da sua empresa: o que é o negócio; principais produtos e/ou serviços; principais clientes; localização da empresa; montante de capital a ser investido; faturamento mensal; estimativa de lucro; estimativa de retorno do capital investido.

Dados dos empreendedores, experiência profissional e atribuições

Apresente os dados dos responsáveis pela administração do negócio, inclusive os seus. Destaque os currículos: conhecimentos, habilidades e experiências anteriores.

Dados do empreendimento

Informe o nome da empresa e o número de inscrição no CNPJ – Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas – se a mesma já estiver registrada. Caso contrário, indique o número do seu CPF.

Missão da empresa

Esclareça a missão da sua empresa, ou seja, qual é o papel que ela desempenha em sua área de atuação. A missão representa o seu ponto de partida, pois identifica e dá rumo ao seu negócio. Ela deve responder as seguintes perguntas:

  • Qual é o seu negócio?
  • Quem é o consumidor?
  • O que é valor para o consumidor?
  • O que é importante para os empregados, fornecedores, sócios, comunidade, etc.

Setores de atividades

Defina qual é o negócio da sua empresa e em que setores ela pretende atuar:

  • Agropecuária
  • Indústria
  • Comércio
  • Prestação de serviços

Forma jurídica

A definição da forma jurídica é do âmbito da existência oficial da sua empresa. A forma jurídica determina a maneira pela qual ela será tratada pela lei, assim como o seu relacionamento jurídico com terceiros. As formas jurídicas mais comuns para as micro e pequenas empresas são:

  • Microempreendedor Individual
  • Empresário Individual:
  • Empresa Individual de Responsabilidade Limitada
  • Sociedade Limitada

Capital social

O capital social diz respeito a todos os recursos (dinheiro, equipamentos, ferramentas, etc.) colocados pelos proprietários para a montagem do negócio.

Se você estiver em uma sociedade, é necessário determinar o valor do capital que cada sócio irá investir e o seu percentual.

Fonte de recursos

Aqui você deve esclarecer como serão obtidos os recursos necessários para a implantação e manutenção da empresa. Para o início das atividades, você pode contar com recursos próprios, de terceiros ou com ambos.

Análise de mercado

Essa parte do plano de negócios envolve sair do universo da sua empresa para compreender como o contexto ao redor dela funciona e de que maneira ele pode favorecer o seu empreendimento.

Estudo dos clientes

Clientes não compram apenas produtos, mas soluções e satisfação para algo que precisam ou desejam. Para identificar o que eles buscam, é preciso conhece-los ao máximo. Portanto, elenque suas características

Se são pessoas físicas, busque saber:

  • Qual a faixa etária?
  • Na maioria são homens ou mulheres?
  • Têm família grande ou pequena?
  • Qual é o seu trabalho?
  • Quanto ganham?
  • Qual é a sua escolaridade?
  • Onde moram?

Se são pessoas jurídicas:

  • Em que ramo atuam?
  • Que tipo de produtos ou serviços oferecem?
  • Quantos empregados possuem?
  • Há quanto tempo estão no mercado?
  • Possuem filial? Onde?
  • Qual a sua capacidade de pagamento?
  • Têm uma boa imagem no mercado?

Após identificar o seu cliente, faça um levantamento dos seus interesses e hábitos:

  • Que quantidade e com qual frequência compram esse tipo de produto ou serviço?
  • Onde costumam comprar?
  • Que preço pagam atualmente por esse produto ou serviço similar?

Então apresente a sua pesquisa sobre as motivações que levam seu cliente a consumir:

  • Preço?
  • Qualidade dos produtos e/ou serviços?
  • A marca?
  • O prazo de entrega?
  • O prazo de pagamento?
  • O atendimento da empresa?

Mapeie a localização de seus clientes e o tamanho do seu mercado:

  • Seu mercado compreende somente a sua rua?
  • O seu bairro?
  • Sua cidade? Todo o estado?
  • O País todo? Outros países?
  • Seus clientes encontrarão sua empresa com facilidade?

Após responder a todas essas perguntas, será possível identificar e compreender com muito mais clareza os seus clientes.

Estudo dos concorrentes

Você pode aprender muito observando a atuação da concorrência. Visite-os e examine suas práticas. Lembre-se de que concorrentes são aquelas empresas que atuam no mesmo ramo de atividade que você e “partilham” do seu público-alvo.

Enumere os pontos fortes e fracos dos seus concorrentes em relação a:

  • qualidade dos materiais empregados – cores, tamanhos, embalagem, variedade, etc.;
  • preço do produto ou serviço;
  • localização;
  • condições de pagamento – prazos, créditos, descontos , etc.;
  • atendimento prestado;
  • serviços disponibilizados – horário de funcionamento, entrega em domicílio, teleatendimento, etc.;
  • garantias oferecidas.

Após fazer essas comparações, reflita acerca de alguns pontos:

  • Sua empresa está em condições de competir com a concorrência?
  • O que fará com que as pessoas escolham a sua empresa ao invés das outras?
  • Há espaço para todos, incluindo você?
  • Se a resposta for sim, desenvolva os motivos. Do contrário, quais mudanças devem ser realizadas para que você consiga competir em pé de igualdade?

Estudo dos fornecedores

O mercado fornecedor envolve pessoas e empresas que fornecem matérias-primas e equipamentos utilizados na produção ou venda de bens e serviços.

Faça o levantamento dos seus fornecedores de equipamentos, ferramentas, móveis, utensílios, matérias-primas, embalagens, mercadorias e serviços. Avalie se há necessidade alterações, ou se há novas propostas e mantenha um cadastro atualizado de fornecedores em potencial.

Pesquise e atualize periodicamente informações como: preços, qualidade, condições de pagamento e o prazo médio de entrega. Dessa forma, você terá uma melhor noção de quem são e de como trabalham seus parceiros.

Plano de Marketing

Descrição dos principais produtos e serviços

Aqui você deve descrever os principais itens que serão fabricados, vendidos ou os serviços que serão prestados. Especifique detalhes como tamanho, modelo, cor, sabores, embalagem, apresentação, rótulo, marca, etc. Você também inserir imagens dos produtos como anexos ao final do documento.

Para empresas prestadoras de serviço, informe quais serviços serão prestados, suas características e garantias oferecidas.

Verifique se há regulamentos ou exigências oficiais a serem atendidas (de vigilância sanitária ou normas técnicas, etc.) para a fabricação ou acondicionamento dos seus produtos.

Preço

Preço é o valor que consumidor está disposto a pagar pelo que você irá oferecer. Sua determinação deve considerar os custos do produto ou serviço e proporcionar retorno financeiro.

Ao avaliar o quanto o consumidor está disposto a pagar, é importante que você cheque se o seu preço é compatível com o praticado no mercado pela concorrência.

Estratégias promocionais

Promoção é toda ação que tem como objetivo apresentar, informar, convencer ou lembrar os clientes de comprar seus produtos ou serviços. Algumas estratégias que você poderá utilizar são estas:

  • Propaganda em rádio, jornais e revistas;
  • Internet /Redes sociais;
  • Amostras grátis;
  • Mala direta, panfletos e cartões de visita;
  • Carro de som e faixas;
  • Brindes e sorteios;
  • Descontos;
  • Participação em feiras e eventos.

Determine com cautela as maneiras que usará para divulgar sua empresa, pois todas elas implicam em custos. Faça uma projeção do retorno das estratégias, seja na imagem do negócio, no aumento do número de clientes ou no acréscimo da receita.

Estrutura de comercialização e Localização do negócio

Identifique a melhor localização para o seu negócio e justifique os motivos de sua escolha. A definição do ponto está diretamente relacionada com o ramo de atividades.

Um bom ponto comercial é aquele que gera um volume razoável de vendas. Considere, portanto, os seguintes aspectos:

  • Analise o contrato de locação, as condições de pagamento e o prazo do aluguel do imóvel;
  • Verifique as condições de segurança da vizinhança;
  • Observe a facilidade de acesso, o nível de ruído, as condições de higiene e limpeza e a existência de locais para estacionamento;
  • Fique atento para a proximidade dos clientes que compram seus produtos e o “fluxo de pessoas na região;
  • Faça uma averiguação da proximidade de concorrentes;
  • Avalie a proximidade dos fornecedores, pois isso influencia no prazo de entrega e no custo do frete;
  • Visite o ponto em horários alternados, para verificar o movimento de pessoas e de veículos no local.

Plano Operacional

Layout ou arranjo físico

Aqui você vai definir como será a distribuição dos diversos setores da empresa, de alguns recursos (mercadorias, matérias-primas, produtos acabados, estantes, gôndolas, vitrines, prateleiras, equipamentos, móveis, matéria-prima etc.) e das pessoas no espaço disponível. Um bom arranjo físico traz os seguintes benefícios:

  • aumento da produtividade;
  • diminuição do desperdício e do retrabalho;
  • maior facilidade na localização dos produtos pelos clientes na área de vendas;
  • melhoria na comunicação entre os setores e as pessoas.

Capacidade produtiva, comercial e de prestação de serviços

É importante estimar a capacidade instalada da sua empresa, isto é, o quanto pode ser produzido ou quantos clientes podem ser atendidos com a estrutura que ela possui. Assim é possível diminuir a ociosidade e o desperdício.

Atente-se a esses dois pontos:

  • Projeção do volume de produção, de vendas ou de serviços: o tipo de produto ou serviço, as suas instalações e maquinário, sua disponibilidade financeira, fornecimento de matérias primas e ou mercadorias e o tamanho do mercado.
  • Sazonalidade: oscilações do mercado, em função daquilo que irá produzir ou revender.

Processos operacionais

Aqui você irá discriminar como sua empresa funciona ou vai funcionar. Descreva as etapas de fabricação dos produtos, venda de mercadorias, prestação dos serviços e rotinas administrativas.

Identifique que atividades serão realizados, quem serão os responsáveis por elas, assim como os materiais e equipamentos necessários.

Necessidade de pessoal

Faça a projeção do pessoal necessário para o funcionamento do negócio, entre sócios, familiares (se for o caso) e funcionários.

Verifique a disponibilidade de mão-de-obra qualificada na região. Se não for essa a situação, procure investir no treinamento do seu pessoal.

Contate os sindicatos de classe a fim de obter informações sobre a legislação específica, acordos coletivos, piso salarial e quadro de horários.

Plano Financeiro

Nessa etapa, você irá determinar o total de recursos a ser investido para que a empresa comece a funcionar. O investimento total é composto por três partes:

  • investimentos fixos;
  • capital de giro;
  • investimentos pré-operacionais.

O investimento fixo corresponde a todos os bens que você deve comprar para que seu negócio possa funcionar de maneira apropriada.

O capital de giro é o montante de recursos necessário para o funcionamento da empresa, compreendendo a compra de matérias-primas ou mercadorias, financiamento das vendas e o pagamento das despesas.

Já os investimentos pré-operacionais compreendem os gastos realizados antes do início das atividades da empresa, isto é, antes que ela abra as portas e comece a vender, por exemplo: gastos com reformas reforma e taxas de registro da empresa.

Estimativas de faturamento mensal

Uma forma de estimar o quanto a empresa irá faturar por mês é multiplicar a quantidade de produtos a serem oferecidos pelo seu preço de venda, que deve ser baseado em informações de mercado.

Para isso, você deve considerar o preço praticado pelos concorrentes diretos e quanto o cliente está disposto a pagar.

As previsões de vendas devem ser baseadas na avaliação do potencial do seu mercado e na sua capacidade produtiva.

Faça suas estimativas de faturamento para um período de, pelo menos, 12 meses. Verifique se há sazonalidade no seu ramo, ou seja, se há épocas em que as vendas aumentam ou diminuem, como Natal ou Dia dos Namorados.

Apuração do custo dos materiais diretos e/ou mercadorias vendidas

Aqui você irá calcular o CMD – Custos com Materiais Diretos (para a indústria) – ou o CMV – Custo das Mercadorias Vendidas (para o comércio).

O custo dos materiais diretos ou das mercadorias vendidas representa o valor que deverá ser baixado dos estoques pela sua venda efetiva. Para calculá-lo, é só multiplicar a quantidade estimada de vendas pelo seu custo de fabricação ou aquisição.

Esse valor é classificado como um custo variável, aumentando ou diminuindo em função do volume de produção ou de vendas.

Estimativa dos custos com mão de obra

Defina quantas pessoas serão contratadas (se necessário) para realizar as diversas atividades do seu empreendimento. Pesquise e determine quanto cada empregado receberá, considerando os encargos sociais (FGTS, férias, 13º salário, INSS, horas extras, aviso prévio, etc.).

Estimativa do custo com depreciação

máquinas, equipamentos e ferramentas vão se desgastar ou tornam-se ultrapassados com o passar dos anos, sendo necessária sua reposição. O reconhecimento da perda do valor dos bens pelo uso é chamado de depreciação.

Para calcular a depreciação dos investimentos fixos, é necessário seguir os passos descritos abaixo:

  • relacione o material utilizado: máquinas, equipamentos, ferramentas, utensílios, veículos, etc;
  • determine o tempo médio de vida útil desses bens;
  • divida o valor do bem pela sua vida útil em anos para saber o valor anual da depreciação;
  • divida o custo anual com depreciação por 12, para calcular a depreciação mensal.

Apesar de ser um custo e influenciar na formação do preço, a depreciação não representa necessariamente um gasto. Porém, dependendo da situação financeira e das estratégias da sua empresa, pode-se fazer uma reserva para a troca do bem ao fim de sua vida útil.

Considere ainda que máquinas e equipamentos sucateados têm maiores custos de manutenção, além de produtividade mais baixa.

Estimativa dos custos fixos operacionais mensais

Custos fixos são todos os gastos que não se alteram em função do volume de produção ou da quantidade vendida em um determinado período, por exemplo: aluguel, energia, salários, etc.

Esses valores são custos fixos porque precisam ser pagos, normalmente, independentemente do nível de faturamento mensal do negócio.

Indicadores de viabilidade: ponto de equilíbrio, lucratividade e rentabilidade

Estes são indicadores de atratividade, ou seja, aqueles cujos números positivos dizem a possíveis investidores que sua empresa é um empreendimento que poderá gerar um bom retorno financeiro.

Ponto de equilíbrio

O ponto de equilíbrio é o indicador que representa o quanto sua empresa precisa faturar para pagar todos os seus custos em um determinado período.

Lucratividade

É um indicador que mede o lucro líquido em relação às vendas. Trata-se de um dos principais indicadores econômicos, pois está relacionado à sua competitividade. Se a sua empresa possui uma boa lucratividade, ela apresentará maior capacidade de competir será capaz de realizar maiores investimentos em divulgação, diversificação dos produtos e serviços, aquisição de novos equipamentos, etc.

Rentabilidade

É um indicador de atratividade dos negócios, pois mede o retorno do capital investido aos sócios. É obtido sob a forma de percentual por unidade de tempo (mês ou ano). É calculada através da divisão do lucro líquido pelo investimento total. A rentabilidade deve ser comparada com índices praticados no mercado financeiro.

Prazo de retorno do investimento

Assim como a rentabilidade, o prazo de retorno também é um indicador de atratividade. Indica o tempo necessário para que o empreendedor recupere o capital investido em seu negócio.

Avaliação do Plano de Negócio

O Plano de Negócio desenvolvido por você é um valioso instrumento de planejamento que deve ser consultado, acompanhado e quando necessário, ajustado.

Por isso é importante avaliar o conteúdo desse documento, lembrando que o seu objetivo é manter a saúde financeira da empresa e apontar os caminhos o seu crescimento.

 Se o mundo e o mercado estão mudando o tempo todo, não poderia ser diferente com sua empresa, em consequência, com seu plano empresarial. Novas oportunidades e ameaças se fazem presentes e você precisa estar atento e preparado.

Portanto, procura adaptar seu plano de negócios a novas realidades que venham a se formar. E faça uma revisão dele, de vez em quando. Empreendimentos envolvem riscos, mas o plano empresarial é capaz de evitar muitos deles. E da mesma forma poderá ajudá-lo a tomar as melhores decisões.

Como fazer o seu plano empresarial

É importante destacar que alguns pontos não devem ser deixados de lado na criação de um plano empresarial, como, por exemplo, a experiência profissional e atribuição dos empreendedores.

A definição da forma jurídica da empresa, o enquadramento tributário, o capital social e a fonte de recursos também são essenciais a este documento.

O plano empresarial deve ser o ponto de partida para qualquer empreendimento. Isso significa que ninguém deveria montar um negócio sem antes ter o seu plano muito bem elaborado e finalizado.

Esse documento deve conter uma análise de mercado onde serão estudados os clientes (características, interesses, comportamentos), a concorrência e os fornecedores.

O plano de marketing completo também deve estar inserido no plano de negócios. Dê destaque na descrição dos principais produtos e serviços oferecidos, preços e estratégias promocionais.

Outra parte fundamental de um bom planejamento de negócios é a análise financeira. Pense e elabora cuidadosamente a estimativa de investimentos fixos, capital de giro, estimativas de faturamento mensal da empresa, custos de materiais e matéria-prima, custos de comercialização, custos fixos etc.

Mas ter um bom e sólido plano, ainda que fundamental, não é o suficiente para um bom planejamento. Após sua finalização, é recomendável que você simule valores e situações diversas para a empresa.

Você deve criar simulações tanto pessimistas (queda nas vendas) como otimistas (crescimento do faturamento). E partir de então, pense em formar de prevenir adversidades e potencializar situações favoráveis.

Preparado para fazer um plano empresarial completo? Se precisa de ajuda para validar sua ideia de negócio e começar do zero conheça o kit Novo Negócio!

★ Dica Importante!

Para qualquer negócio que você for montar é importante fazer um planejamento. Para isso, estude em livros, contrate uma consultoria ou use o Kit Novo Negócio.

Enfim, escolha a opção que mais lhe agrada, apenas NÃO ARRISQUE suas economias e o bem-estar da sua família em um chute!



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here