☑ 20 Estratégias para Organizar as Finanças Pessoais e Sair do Vermelho

Finanças PessoaisAjustar as finanças pessoais e manter o controle e organização sobre o dinheiro é uma das tarefas mais difíceis, justamente por isso o índice de inadimplência cresce assustadoramente ano após ano.

Em 2019 o Brasil registra 63 milhões de pessoas endividadas segundo pesquisa realizada pelo SPC e o principal motivo é a dificuldade em gerir o orçamento pessoal e familiar em conjunto com as compras por impulso.

Se você está se perguntando como sair do vermelho e voltar a ter uma saúde financeira, a boa notícia é que através destas X estratégias tem-se 90% de chances de conseguir, confira!

Ao final, dica bônus sobre como ganhar mais dinheiro para equilibrar as finanças pessoais

  1. Escreva as suas metas e objetivos financeiros

A primeira chave para o sucesso financeiro pessoal é definir metas (curto prazo) e objetivos (longo prazo), e não só isso, escrevê-los em um papel.

Se possível, faça também um cartaz com imagens e escrita com as metas, objetivos e representações positivas que isso proporcionará.


Estudos já comprovaram que ao escrever as metas o cérebro aumenta o foco e trabalha com maior ênfase para atingir esses objetivos, aumentando em até 42% as chances de alcançar.

  1. Crie um plano financeiro

O plano financeiro com o objetivo de ter um modelo a seguir de forma organizada.

Há 3 pontos obrigatórios no plano financeiro pessoal:

  • Ganhos (entrada de valores);
  • Gastos (custos);
  • Orçamento (quanto deveria gastar);
  • Estratégias (o que fazer para alcançar).

Também, deve ser desenvolvido em etapas de acordo com as metas estabelecidas. Por exemplo:

700 Ideias de Negócios

Plano financeiro pessoal para os primeiros 5 meses com o objetivo de equilibrar despesas familiares e ganhos. Ao conseguir atingir esta meta, os próximos 7 meses serão para economizar 20% para pagamentos das dívidas, e assim sucessivamente.

  1. Descubra qual seu custo mensal

É comum as pessoas endividadas sequer sabre qual seu custo mensal. Ao perguntar para elas recebemos uma “estimativa”, aquele famoso chute que, ao analisar mais a fundo, descobrimos que não é nem próximo da realidade financeira da pessoa.

Além disso, o primeiro passo para poder organizar as finanças é saber quanto gasta. A partir disso é possível cortar gastos desnecessário.

É importante descrever os custos de forma realista e detalhada, para isso pode usar uma planilha ou um aplicativo de finanças pessoais.

Ficará surpreso com o quanto gasta e possui de contas que não sabia. Normalmente, tem-se entre 35% a 40% a mais de gastos do que a “expectativa”.

  1. Estabeleça um orçamento de gastos para ajustar sua “vida” financeira

Sabendo quanto gasta é o momento de estabelecer o quanto DEVERIA gastar para dar início à organização financeira.

Com sua planilha de custos faça uma comparação entre ganhos x gastos, o que pode ser cortado e monte um orçamento final a ser seguido.

Por exemplo, se no seu orçamento final some R$ 2.300,00, é preciso que realmente fique “dentro” dessa margem.

Seja realista com seu orçamento, inicie com reduções e contenções de despesas moderadamente, caso contrário dificilmente conseguirá seguir no estabelecido.

  1. Quite suas dívidas

Sim, é fácil dizer para “pagar as contas”, o difícil é “sobrar dinheiro para isso”.

Quando falamos para quitar suas dívidas é, após seguir todas as dicas e adequar as finanças dentro do orçamento (entre outras estratégias como renda extra que falaremos mais abaixo), priorize o pagamento das dívidas.

As dívidas trazem 3 grandes problemas:

  • Juros.
  • Restrição de crédito.
  • Aumento de taxas ao precisar de dinheiro.
  • Entre outros.

Os juros são os maiores vilões de quem está com problemas financeiros, então cuidado!

  1. Corte gastos desnecessários

O que são gastos desnecessários? Esta é a pergunta que deve se fazer.

Os gastos desnecessários são aqueles que PARA VOCÊ representam diminuição de conforto/qualidade de vida a um nível aceitável.

Podemos citar como exemplo diminuir em 30% a luz. Talvez seja preciso reduzir o tempo ao tomar banho, lavar roupa com menos frequência, etc.

  1. Mantenha seus gastos em até 70% do valor do seu salário líquido

Sei que é difícil, afinal, já está endividado e ainda ter de gastar menos? Ora, o que se ganha já não é suficiente para cobrir todas as contas. Essa é a realidade da maioria das pessoas com problemas financeiros.

Contudo, a verdade é que ao trabalhar o orçamento e planejamento financeiro, juntamente com o corte de alguns custos desnecessários, costuma-se conseguir adequar dentro do salário e, não só isso, menos do que se ganha.

Por isso seu objetivo final deve ser ter seus gastos (fixos + estimativa de variáveis) em até 70%, no máximo 80% dos seus ganhos.

Assim tem-se uma margem de 20% para economizar, investir, saldar dívidas e criar fundo emergencial.

  1. Regra dos 50-30-20

De antemão já afirmo, mudamos a regra para se adequar ao caso de quem está “endividado”, no geral é “trabalhada” com 50-15-30, contudo, o objetivo é trazer a sua saúde financeira de volta e, para isso, teremos de sacrificar “um pouco” o lazer.

Essa regra consiste em dividir os seus ganhos (70% a 80% dos ganhos, conforme falamos) da seguinte forma:

  • 50% para despesas essenciais: aluguel, luz, água, internet, alimentação, escola, transporte, etc.
  • 30% para prioridades financeiras: pagamento das dívidas e renegociação, fundo emergencial, entre outras.
  • 20% para estilo de vida: este valor deve pagar seus hobbies, diversão, jantares noturnos, festas, etc.

Cuidado, se suas despesas nãos e enquadrarem neste percentual significa que deve rever suas contas. Através disso descobrirá se deve diminuir luz, água, cortar tv a cabo, encontrar uma residência com aluguel mais barato, etc.

  1. Aprenda a economizar

Economizar dinheiro é cortar gastos e fazer disso um hábito. Também, esses cortes devem ser mantidos mês a mês e não apenas uma única vez.

Alguns locais que normalmente permitem reduzir custos:

  • Telefonia: há diversos planos, um mais vantajoso que outro, verifique qual se enquadra na sua necessidade e bolso.
  • Tv a Cabo: se você assiste pouca televisão não compensa manter. Hoje há o IPTV que é uma forma mais barata.
  • Gastos mensais fixo: luz, água, velocidade de internet, alimentação, etc. Normalmente consegue-se reduzir de 20% a 30%.
  • Serviços por assinatura: a dica aqui é cancelar todos e depois reassinar o que realmente for usar.
  1. Separe um percentual da sua renda mensal para investir

Criar o hábito de investir é importante, pois quem investe GUARDA dinheiro e ao mesmo tempo rentabiliza. Por isso, mesmo que seja 1% do seu ganho, separe e invista.

Isso faz com que seu cérebro se acostume com a ideia de que guardar dinheiro não chega a ser um “sacrifício” e ao mesmo tempo torne isso um hábito, buscando sempre aumentar cada vez mais a quantia.

  1. Invista corretamente o que poupar

Poupar é fundamental, mas saber investir é o que fará você sair do vermelho e conquistar a tranquilidade financeira, viver bem.

Assim como os juros são verdadeiros vilões nas dívidas, investir corretamente faz com que um percentual (juros compostos) aumentem exponencialmente seu capital.

A poupança não repõe sequer a inflação, por isso buscar outras alternativas é fundamental.

Uma boa ideia pode ser começar um novo negócio (renda extra) ou tornar-se sócio, normalmente o investimento é de alto risco, mas o retorno é altíssimo, muito maior do que em aplicações financeiras.

Por exemplo, ao investir R$ 5.000,00 em uma loja de prestação de serviços de assistência técnica em ar condicionado, você pode tirar facilmente R$ 5.000,00 ao mês se o empreendimento dar certo.

Já a outra opção é iniciar em aplicações como fundo de renda fixa, tesouro direto, entre outras. Para decidir em que aplicar, procure ajuda de um consultor financeiro.

  1. Crie uma reserva financeira de emergência

Imprevistos acontecem e eles podem comprometer toda a sua organização financeira. Pense, por exemplo, um problema de saúde que exige um desembolso de R$ 4.000,00 e você não tem. Recorre ao limite do cheque especial, quando FINALMENTE conseguiu se organizar.

Com isso tem-se de pagar juros, talvez até parcele o pagamento, o que dificultará ainda mais a sua organização que já está “no limite”. Isso tudo seria evitado se tivesse uma reserva de emergência.

Por isso comece agora mesmo a sua reserva de emergência financeira, pode ser R$ 60 reais por mês, mas comece, crie este hábito.

  1. Cancele seus limites e cartões de crédito

Para quem busca economizar e montar uma organização financeira para pagar as contas e sair do vermelho, os limites (cheque especial) e cartões de crédito são problemas comuns que dificultam.

Quando se usa cheque especial ou o cartão de crédito, na verdade, está utilizando um dinheiro que não é seu, que na verdade não existe dentro do seu orçamento. Afinal, se este dinheiro estivesse “na sua conta” disponível, por que não comprar à vista?

E se surgir uma emergência? Para isso serve o fundo de emergência que já falamos neste post, e, mesmo se o valor que possuir disponível seja pequeno, ao ter suas contas em dia e nenhuma restrição em cadastros de inadimplentes, basta ir ao banco e solicitar o empréstimo. Preenchendo esses requisitos consegue-se o crédito rapidamente.

  1. Compre à vista

O pagamento à vista é o ideal para quem está tentando organizar as finanças pessoais, justamente porque gasta apenas a receita que tem e evita contrair dividas e diminuir ainda mais o orçamento para os próximos meses.

  1. Faça análise das finanças diária, semanal, mensal, semestral e anual

Um erro frequente de quem deseja economizar e organizar as finanças pessoais é a periodicidade das análises.

É normal fazer um planejamento mensal ou semestral, mas isso deixa muita margem para erros, principalmente para quem está iniciando e já está bem endividado.

Faça uma avaliação e planejamento de gastos diários, semanais, mensais, semestrais e anuais, com isso todo final do dia pode verificar o que fez de errado e certo.

Normalmente as pessoas desistem do planejamento financeiro porque ao final de 1, 2 ou até 3 meses percebem que não conseguiram seguir.

  1. Use ferramentas e aplicativos de finanças pessoais

Existem dezenas, talvez centenas de aplicativos e ferramentas para ajudar nas finanças pessoais, neste post sobre ferramentas para gerenciar contas e finanças listamos algumas opções para empresas e que também servem para pessoas físicas.

Através desses apps e ferramentas é possível lançar de forma simples e prática os gastos, ganhos, metas e objetivos, ao final terá um relatório com gráficos que vão ajudar a identificar possíveis melhorias na sua organização.

  1. Prepare-se para a aposentadoria

Com a reforma da previdência e também os valores das aposentadorias abaixo do necessário opara ter uma vida digna na 3º idade, tornou-se indispensável começar o planejamento previamente e pagar uma previdência complementar (privada) ou algo semelhante.

Claro, depois de conseguir por em prática as outras dicas e estar com a organização financeira em dia.

  1. Conscientize TODA a família da situação financeira

Para quem possui família é ainda mais difícil pôr as finanças pessoais em dia e, nesses casos, conscientizar esposa(o), filhos e outros que residem na casa da situação financeira e necessidade de economizar é fundamental.

E preciso que todos estejam de acordo com o planejamento financeiro, cortes nos gastos, metas e objetivos.

A falta de colaboração dos membros da família é um dos motivos MAIS COMUNS DE ESTOURAR O ORÇAMENTO.

  1. Troque hobbies/lazer caros por opções mais baratas

Reduzir gastos não significa deixar de se divertir ou ter momentos de lazer, pelo contrário, isso é importante e precisa ser mantido como uma forma de “compensação” pela árdua tarefa de economizar.

O que deve ser feito é trocar hobbies caros por de menor valor, ou reduzir a quantidade. Por exemplo, uma saída noturna em um Pub em que se gasta R$ 150,00 pode ser trocada por uma janta em casa ou uma pizzaria.

  1. Concentre todas suas dívidas em um só lugar

Algo comum de acontecer é dever para diferentes credores, o que dificulta a organização e raramente se consegue negociar para pagar menos juros e de uma forma parcelada.

Busque aderir um crédito único com boas taxas de juros e forma de pagamento dentro do seu orçamento e quite todos os credores.

Dica Extra: Como Ganhar mais Dinheiro para Organizar as Finanças e Quitar Dívidas

Nem sempre organizar, cortar custos e administrar corretamente as finanças pessoais é suficiente para quitar as dívidas e manter todas as contas em dia.

Então, o que fazer?

Quando os ganhos são menores que os custos e não tem como diminuir ainda mais, a solução é ganhar mais dinheiro.

Para isso você pode:

  • Fazer hora extra: muitas empresas permitem aos funcionários trabalhar após o horário.
  • Atividade extra fora do horário de expediente: trabalhar como Uber, por exemplo, é uma das maneiras de conquistar uma boa renda extra.
  • Prestar serviços online: tem muita demanda de trabalho e pode se encaixar dentro da sua expertise.
  • Montar um negócio em casa: o que acha de fazer lanches à noite para vender? Pastéis? Opções não faltam.

Abaixo listamos conteúdos com ideias para ganhar mais dinheiro e ter uma renda extra:

Preparado para mudar de vida e ter suas finanças pessoais controladas? Compartilhe com seus amigos e deixe nos comentários se as dicas foram úteis.

★ Dica Importante!

Para qualquer negócio que você for montar é importante fazer um planejamento. Para isso, estude em livros, contrate uma consultoria ou use o Kit Novo Negócio.

Enfim, escolha a opção que mais lhe agrada, apenas NÃO ARRISQUE suas economias e o bem-estar da sua família em um chute!



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here